BRK alerta sobre os cuidados que garantem um bom funcionamento do sistema de esgoto

Em ABCD - No dia
- Updated
Cabelo na rede de esgoto. Foto: Comunicação BRK/Divulgação

Mudança de hábitos com relação ao descarte de resíduos e materiais ajudam a evitar problemas com a rede de esgoto.

O bom funcionamento das redes e tubulações que coletam e afastam os esgotos gerados nas residências da cidade, assim como a operação do sistema de tratamento desses efluentes, evitam impactos ambientais, como o lançamento direto nos rios e córregos da cidade e, consequentemente, contaminações que podem causar problemas à saúde.

A BRK, concessionária responsável pelos serviços de esgoto em Mauá mantem uma rotina de manutenções preventivas e corretivas no sistema de esgoto da cidade. Em 2021, cerca de 233 quilômetros das redes de esgoto passaram por ações preventivas de limpeza no município, maior volume no período desde o início da concessão, em 2003. Somente no período de janeiro a março deste ano, a BRK realizou cerca de 528 serviços, corretivos e preventivos, por toda a cidade, o que garante o correto funcionamento das redes e ligações domiciliares.

Porém, mesmo com esse trabalho contínuo de limpeza, muitas vezes a empresa esbarra no uso incorreto das redes coletoras de esgoto. Prova disso, é o número dos atendimentos a ocorrências operacionais, que resultaram em mais de 1.900 desobstruções e manutenções nas redes e ramais de esgoto da cidade em 2021. E os materiais mais encontrados são resíduos sólidos que somaram 110 toneladas coletados no ano.

Assim, a contribuição para a saúde e bem-estar da população e a preservação do meio ambiente vai além da atuação da concessionária e do poder público. Ela inclui também ações da população para a mudança de hábitos com relação ao descarte de resíduos e materiais.

Durante o trabalho de limpeza das redes e das ligações de esgoto, os materiais mais encontrados são resíduos sólidos, como fio dental, papel, brinquedos, latinhas de cerveja ou refrigerante, absorventes, peças plásticas e gordura proveniente do descarte do óleo de cozinha pelos ralos das pias. Até uma churrasqueira já foi retirada do sistema público de esgoto de Mauá.

E por causa dessa má utilização das redes públicas coletoras de esgotos ocorrem entupimento das ligações ou das redes, extravasamento das tubulações ou até retorno de esgoto para dentro dos imóveis.

Bruno Gravatá, gerente de operações da BRK em Mauá, orienta que as pessoas não joguem lixo e óleo de cozinha pelas instalações sanitárias de seus imóveis, ou seja, pelos ralos, pias e vasos sanitários de qualquer parte da casa. “Esgoto não é lixo”, ele reforça.

O uso correto do sistema de esgoto deve ser um hábito e, principalmente, um compromisso de todas as pessoas. A maneira como cada indivíduo utiliza o sistema de esgoto reflete diretamente em sua estrutura e pode causar prejuízos à saúde e ao meio ambiente quando utilizado de forma incorreta”, esclarece Gravatá.

Confira alguns cuidados que podem ser adotados em casa, que são eficazes contra entupimentos e vazamentos de esgoto nas vias públicas e imóveis:

1. Usar ralinho na pia da cozinha

Você sabia que resto de alimentos podem causar o entupimento e rompimento das tubulações, e até mesmo o retorno do esgoto para dentro de casa ou para a rua? Por isso, é preciso se certificar de que restos de comida não se encaminhem para o esgoto. Afinal, esgoto não é lixeira. 

Resolver o problema não é uma tarefa difícil, basta comprar um ralinho para ser utilizado na pia da cozinha. Com isso, os restos de alimento serão filtrados e você poderá descartá-los separadamente junto ao lixo orgânico. Assim, você evitará os transtornos de ter a tubulação do seu imóvel entupida.

2. Não descartar óleo no ralo ou no vaso sanitário

Da mesma forma, você não deve, de maneira alguma, descartar o óleo de cozinha nos ralos de pias ou em vasos sanitários. Depois que a gordura esfria, ela endurece e se une a outros materiais, criando uma crosta que se fixa nas paredes das tubulações, entupindo-as. 

A alternativa ao descarte é a reciclagem. A BRK realiza em Mauá o Programa Olho Vivo “Água e óleo não se misturam”. Trata-se de uma parceria da concessionária com as secretarias municipais do Verde e Meio Ambiente e Educação e a empresa Lirium Reciclagem Ambiental. O projeto prevê a correta coleta e destinação adequada do óleo de cozinha usado. No total, são 50 pontos de coleta instalados nas escolas municipais e conveniadas, no Parque Natural Municipal Guapituba Alfredo Klinkert Junior e no Parque Ecológico da Gruta Santa Luzia.

Participar do projeto é simples e rápido. Basta esperar que o óleo esfrie, coar para eliminar os resíduos de alimentos, armazená-lo em garrafas plásticas e levá-las para os pontos de coleta. A lista e endereços desses pontos de coleta podem ser acessados no site da empresa:  https://www.brkambiental.com.br/maua/coleta-de-oleo.

3. Evitar que pelos e cabelos desçam pelo ralo do banheiro

É comum que pelos e cabelos se acumulem e fiquem presos ao ralo do banheiro. Entretanto, há motivos para você se preocupar em removê-los antes que desçam pelo encanamento. O ideal é evitar que eles fiquem presos por muito tempo no ralinho, já que além de descer para a rede de esgoto, poderão entupir a própria tubulação da residência.

4. Descartar apenas o que não é reciclável no lixo do banheiro

O lixo do banheiro é, predominantemente, utilizado para o descarte de materiais não reutilizáveis. Por isso, use-o apenas para se desfazer do que não for reciclável. Há itens, como rolinho de papel higiênico, embalagem de pasta de dente, escovas de dentes ou litro de desinfetante, que não devem ser armazenados nesse lixo. Quando isso acontece, o material que poderia ser reciclado é encaminhado para lixões ou aterros e levam anos e anos para se decomporem.

Informe-se quanto aos ecopontos existentes na cidade e faça o destino dos lixos corretamente.

5. Não jogar fio dental no ralo ou no vaso sanitário

Da mesma forma que os cabelos, o fio dental também é um vilão para o entupimento tanto das tubulações da casa quanto da rede de esgoto. Nesse caso, a regra é simples: utilizou, descartou no lixo. O fio dental, assim como os cabelos, se enrosca com outros itens descartados incorretamente e pode virar uma massa que entope a tubulação.

A BRK incentiva a população a conhecer mais dicas sobre a importância do uso correto das redes de esgoto. Acesse https://blog.brkambiental.com.br/esgoto-nao-e-lixeira/ para mais informações.

A concessionária também disponibiliza palestras educativas sobre esse tema, interessados podem solicitar o agendamento à equipe de Sustentabilidade pelo e-mail: sustentabresp@brkambiental.com.br.

Resíduos e lixo nas redes de esgoto. Foto: Comunicação BRK/Divulgação

Você também pode ler!

Com foco na diversidade e inclusão, Programa de Estágio Braskem 2023 tem 165 vagas em São Paulo

Oportunidades oferecidas para São Paulo, Santo André, Mauá, Campinas, Cubatão e Paulínia priorizam a contratação de mulheres, pessoas negras

Read More...

Santo André realiza audiência pública do Plano de Mobilidade nesta quarta

Encontro acontecerá em ambiente virtual e vai discutir propostas sobre o tema para os próximos anos A construção do Plano

Read More...

Candidato a deputado federal, médico Dr. Ricardo Yoshio inicia campanha no Jd. Inamar, em Diadema

O doutor sela parceria com Carla Morando, que concorre à reeleição pelo Legislativo Estadual, ampliando visibilidade e fortalecendo sua

Read More...

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu