Pela 1º vez, mais de 50 municípios de SP terão investimento em mapeamento de riscos

In Canto do Joca On

Programa Mapeia Risco SP busca identificar regiões mais suscetíveis a deslizamentos e inundações; investimento é de R$ 3,2 milhões

A Defesa Civil de São Paulo vai investir R$ 3,2 milhões em ações de mapeamento de risco e prevenção de ocorrências de deslizamento de terra e inundações nos municípios do estado. Em 2024, serão 52 cidades beneficiadas com a entrega de planos do Governo de SP de redução de risco, setorização de risco e mapa comunitário.

Os instrumentos de identificação de risco são uma importante fonte para políticas públicas de prevenção a desastre, pois permitem ao gestor municipal conhecer os riscos existentes no município e, com isso, adotar medidas para mitigá-los.

“O mapeamento de risco é o primeiro passo para o município conhecer e interpretar suas regiões e, a partir daí, utilizar políticas públicas para mitigar o risco, ou seja, realizar intervenções que vão desde obras até a criação de núcleos comunitários de defesa civil e ações educacionais, com aplicação de treinamentos e simulados para a população local”, afirma o coronel PM Henguel Ricardo Pereira, Coordenador Estadual de Proteção e Defesa Civil e secretário-chefe da Casa Militar.

Com os recursos provenientes do tesouro estadual serão contratados 37 planos municipais de redução de risco, 13 setorizações e um mapa comunitário de risco.

A seleção das cidades é feita por meio de um estudo que utiliza critérios técnicos definidos pela Defesa Civil. São levados em conta fatores como a participação do município no Plano Preventivo de Defesa Civil para escorregamento e inundação (PPDC), número de habitantes, densidade demográfica, percentual do município com setores de risco alto ou muito alto, histórico de ocorrências anteriores, índice de desenvolvimento humano (IDH) e PIB per capita.

Dentre os municípios contemplados com um Mapa Comunitário de Risco está São Luiz do Paraitinga. A cidade será a primeira a usar Sistema de Alerta por Sirenes para Cheia de Rios (SISAR-RIOS), devido à presença do Rio Piratininga.

No ato da instalação do equipamento, os bairros e comunidades sujeitas à inundação deverão contar com o Mapa Comunitário de Risco, além de instalação de placas de sinalização indicando pontos de risco, rotas de fuga e locais de abrigos.

Atualmente, o banco de dados da Defesa Civil estadual contém 961 instrumentos de risco cadastrados, contemplando 361 municípios paulistas. O acesso é público e pode ser realizado pelo endereço eletrônico: https://www.defesacivil.sp.gov.br/instrumentos-de-identificacao-de-riscos/.

 

You may also read!

Marcelo Lima repudia racismo e reafirma experiência para buscar mais respeito ao são-bernardenses

Em suas redes, o pré-candidato do Podemos publicou relato da esposa e repudia a discriminação racial Pré-candidato a prefeito de

Read More...

Consumidor do Itapark Velho, Mauá, ganha R$ 1 milhão com a Nota Fiscal Paulista

Entidades assistenciais de Limeira, Araçatuba, São Sebastião, São Paulo e Santos levam prêmio de R$ 100 mil do Programa

Read More...

Morando determina revitalização do Mercado Municipal do Rudge

Ato nesta sexta-feira (12.7) marca o início imediato das obras; investimento é na ordem de R$ 643 mil O prefeito

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu