Tensão nervosa

In ABCD, Artigo On

Por Guttemberg Guarabyra*

Desde que soubera da fuga do bandido que ajudara a prender, não tivera mais sossego. Morando sozinha, assustava-se à noite com qualquer ruído que não conseguia identificar a origem. Contava apenas com a ajuda divina, uma vez que a polícia não a atendia mais, de tanto que já lhes havia importunado com seus alarmes infundados. No trabalho, constantemente nervosa, já não rendia o mesmo. Os patrões pacientemente esperavam que essa situação de medo e estresse passasse, para que a rotina do serviço voltasse ao normal. Porém, a cada dia estavam mais propensos a dispensar Maristela.

Numa noite de chuva, com ventos que produziam sons lamentosos e aterrorizantes, Maristela não conseguia dormir. O medo a fazia reconhecer em cada estalido o passo daquele cuja face ameaçadora não lhe saía da memória. Para tentar se acalmar, apanhou as duas almofadas da cadeira e colocou-as no chão diante do pequeno altar, como era costume fazer quando queria rezar. Ajoelhou-se. Mal se acomodou, o vento soprou tão forte que a fez levantar-se num salto, apavorada, tremendo e gritando sem controle.

A situação de total desgaste e tensão nervosa a tinha levado a declarar aos amigos que pensava até em se matar. Implorava a eles que tentassem trocar de papel com ela, que tentassem viver na pele dela por alguns minutos, para entender o que significava o pavor de se sentir seguida o tempo inteiro, apavorada com qualquer telefonema cujo interlocutor alegasse engano. De tão desequilibrada emocionalmente era incapaz de não se assustar quando alguém se dirigia a ela na rua ou simplesmente a tocava com o único intuito de pedir licença para passar, no ônibus. Queria que entendessem que, a viver assim, a morte seria um verdadeiro alívio.

Naquela noite, chamou de novo a polícia assim que a luz faltou inesperadamente. Antes de ligar, tinha procurado aflita por fósforos e velas e quase entrou em estado de choque ao verificar que não estavam no local em que habitualmente os guardava. Até que se lembrou de tê-los acomodado na mesinha de cabeceira, justamente para ficar mais fácil de localizá-los em caso de uma emergência. Depois de acender uma vela e telefonar, encolheu-se na cama sob os cobertores, torcendo para que os soldados chegassem logo.

Quando escutou a maçaneta da porta da frente sendo forçada, soltou, histérica, um agudo grito de socorro. Mas, ao ouvir a voz pedindo que se acalmasse e dizendo tratar-se da polícia, quase voou do meio das cobertas para receber a proteção tão aguardada. Muitas horas depois, quando a polícia de fato chegou, encontrou a porta aberta sem nenhum sinal de arrombamento. A moradora jazia ajoelhada, caída sobre o altar. Segurava entre as mãos uma arma apontada contra o peito e tinha ainda os dois polegares em posição de estar pressionando o gatilho. Ninguém jamais teve a menor dúvida de que o pavor e a amargura haviam, por fim, destruído a figura frágil e sensível de Maristela.

Música do dia

  • Guttemberg Nery Guarabyra Filho, ou Guttemberg Guarabyra, ou apenas Guarabyra, nascido em Barra, Vale do São Francisco, Interior da Bahia, músico, compositor, escritor e poeta brasileiro, cronista de ABCD REAL, publica, às segundas e sextas-feiras crônicas de seu livro “Teatro dos Esquecidos” e outras.
  • O livro pode ser adquirido pelo https://editorathoth.com.br/produto/teatro-dos-esquecidos/106
  • Esta crônica, por exemplo, “Tensão nervosa”, está nas páginas 217 e 218 dessa publicação imperdível.
  • Entre os maiores sucessos de Guarabyra como compositor e cantor estão as canções “Mestre Jonas” e “Outra Vez na Estrada” (ambas em parceria com Luiz Carlos Sá e Zé Rodrix), “Casaco Marrom” (com Renato Correa e Danilo Caymmi), “Sobradinho” (com Luiz Carlos Sá), “Espanhola” (com Fávio Venturini), “Dona” e muito mais. Escreveu O Outro Lado do Mundo e Teatro dos Esquecidos, além de inúmeras crônicas publicadas na grande imprensa, entre elas o Diário Popular.

 

You may also read!

UNG concede título de Doutor Honoris Causa à pesquisadora Ester Sabino

A homenagem para a cientista reúne, acima de tudo, colegas da profissão, estudantes e autoridades Nesta sexta-feira (14.6), a Universidade

Read More...

Santo André começa a vacinar jovens de 10 a 14 anos contra a dengue na quinta-feira

Imunizante estará disponível por livre demanda nas 34 unidades básicas de saúde; serão duas doses com intervalo de três

Read More...

Melhor Peso Agora encerra em Diadema e nova turma começa na quinta-feira

Ainda há vagas disponíveis e para fazer a inscrição ligar no PEAND, no telefone (11) 4053-3945 Com degustação de comidas

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu