Tel: 11 4425-5062 | E-mail: contato@abcdreal.com.br




Cultura

17/04/2014 | Joaquim Alessi

Paranapiacaba, Vila da Humanidade


Nada melhor que a antevéspera de um Domingo de Páscoa para comemorar a ressurreição de um projeto crucificado pela ausência de uma política cultural. Depois do abandono dos trabalhos na gestão passada de Santo André, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) acaba de incluir a Vila Ferroviária de Paranapiacaba na seleta lista indicativa de bens culturais brasileiros que poderão ser apresentados ao Comitê do Patrimônio Mundial para avaliação com vistas ao título de Patrimônio Mundial.

Companhia
A notícia foi publicada no site do Iphan (Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Também integram a lista o Cais do Valongo, no Rio de Janeiro (RJ), e o Mercado Ver-o-Peso, em Belém (PA).

Convenção
Segundo o Iphan, a lista é composta pela indicação de bens culturais, naturais e mistos, apresentados pelos países que ratificaram a Convenção do Patrimônio Mundial da Unesco. Os bens culturais indicados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional contemplam o patrimônio histórico, arqueológico e ferroviário, além de importante área cultural e ponto turístico do norte brasileiro. Este posicionamento será apresentado ao Comitê do Patrimônio Mundial na sua próxima reunião, que neste ano ocorrerá em Doha, no Catar, em junho.

Otimismo
Com muito otimismo, o secretário de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense, Ricardo Di Giorgio, comentou a notícia: “Encaminhamos ao Iphan em meados do ano passado a documentação para retomar a candidatura a Patrimônio da Humanidade”. Com a inclusão da Vila na lista indicativa pela Unesco, a Prefeitura aguardará a aprovação da candidatura pelo Comitê do Patrimônio Mundial para reiniciar os trâmites necessários.

Restauração
“Caso seja aprovada, retomaremos a candidatura iniciada em 2008, no governo do então prefeito João Avamileno, e abandonada pela administração passada. Acreditamos que os restauros garantidos com os recursos do PAC Cidades Históricas, do governo federal, fortalecem nossa candidatura” concluiu Di Giorgio.

Patrimônio de todos
“Paranapiacaba: Patrimônio Cultural e Natural de Santo André para a humanidade.” Este foi o slogan da campanha iniciada pela Prefeitura quando houve o lançamento da candidatura da Vila a patrimônio da humanidade. À época, o governo entendeu que estava credenciado, pois a Vila teve seu patrimônio natural, histórico, tecnológico, urbanístico e arquitetônico reconhecido em 1987, pelo tombamento do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo); em 2002, pelo Iphan; e, em 2003, na esfera municipal, pelo Comdephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquítetônico-Urbanístícoe Paisagístico de Santo André).

Unesco
Em 1994, a Unesco reconheceu a importância da biodiversidade e dos ecossistemas da Mata Atlântica da região por meio da criação da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo, contribuindo para a formação de um extenso corredor ecológico voltado à conservação e sustentabilidade ambiental.










Leia a Edição Virtual da Revista ABCD Real